Jessica Jones encara a volta do Homem-Púrpura – Hyppers

Hyppers Alerta: O Texto abaixo contém spoilers de histórias ainda não lançadas no Brasil! Siga por sua própria curiosidade e risco.

A revista da Jessica Jones é uma das mais bacanas ultimamente. Ainda mais se você era fã de “Alias”, a HQ de Brian Bendis e Michael Gaydos que transformou Jess na personagem famosa que é hoje.

Nas últimas edições ela teve que lidar com várias situações ruins, como fingir que foi presa, brigar com Luke, esconder sua filha e lidar com Maria Hill e intrigas “SHIELDianas”, mas agora uma pior está para pintar.

O Homem-Púrpura está de volta!

Zebediah Killgrave conseguiu escapar da SHIELD e agora está indo atrás de Jessica. E o que é a primeira coisa que ela faz nessa situação? Bem, ela vai até Carol Danvers e pede uma ajudinha da amiga!

Entretanto, Killgrave não vai atrás dela com tanta pressa assim. De fato, o que ele faz é ir para um show no Sea World, vendo as baleias pulando e coisa assim.

Ele é levemente interrompido por uma outra mulher na plateia, que fica perguntando se ele é mutante e o motivo da pele dele ter essa cor estranha e tudo mais. Ele se irrita e manda todo mundo ir embora dali para ele ficar sozinho.

Já Carol leva Jessica e a bebê, Dani, até um esconderijo da SHIELD, para que ela fique distante e escondida do Purpuresco. Aí ela finalmente consegue ter um tempo de ligar para Luke, que estava cuidando de coisas que heróis de aluguel cuidam, junto com seu parceiro, o Punho de Ferro.

Jess testa Luke para ver se ele não está sendo controlado nem nada, então, antes mesmo dela conseguir dizer o que está acontecendo (na real ela só fala “ele está…”), o Herói do Harlem já entende o que está acontecendo e sai correndo para a penitenciária ver o que rolou.

Enfim, o plano de Carol é chamar a galera super-heróica para ajudar a Jessica. O ponto é, não é só um confronto de herói e vilão e sim um cara que é literalmente um psicopata obcecado por Jessica querendo a matar, dominar, controlar e fazer um monte de perversões com ela e sua família, não exatamente nessa ordem.

Logo, eles precisam de toda a ajuda que podem, pois sim, Killgrave é bem perigoso, já que pode até dominar grandes heróis e fazê-los enfrentar uns aos outros, ou até mesmo transformá-los em seus agentes.

Mas logo depois de Carol sair do esconderijo (e mais pelo fato de que ela não quer ficar cuidando do bebê de Jess), A ex-Jewel começa a ouvir a pequena Danielle Jones-Cage falando com muita eloquência para alguém de menos de dois anos de idade…

E olha, essa HQ teve o bom e velho “Bendiálogos”, que são páginas e mais páginas de nada acontecendo além dos personagens parados conversando, que até são legais, mas ao mesmo tempo tá na cara que ele também enrola o leitor… Mas mesmo tendo três páginas duplas disso, ainda é uma HQ bem tensa.

Primeiro, há toda a tensão de Jess fugir com sua filha temendo o que o Killgrave pode fazer, e o que ele pode fazer é transformar qualquer um em um inimigo e implantar uma baita de uma neurose nela. Ele é bem irracional e difícil de ser lido, por isso o desespero de Luke em resolver essa situação.

Ou seja, é muita antecipação do que pode acontecer que ajuda essa edição a ter algum peso, mesmo com tanta enrolação de Bendis assim.

E por fim, dá para ver no final, que talvez ele tenha formado um estranho elo mental com a filha de Jessica. Não parece que ela está falando por si só, por ser muito inteligente ou alguma coisa do tipo. Em dado momento, até há uma transição que dá para entender que é Zebediah falando através da filha de Jessica. Entretanto, como o balão em si não muda, ou há menção da alteração da voz (por enquanto), não dá para afirmar, só se entender que é isso que tá acontecendo.

Eu acho que de alguma forma, Killgrave realmente dominou Dani e isso pode ser a coisa mais horrível que poderia acontecer com Jessica. Pior do que ser dominada, pior do que Luke ou outros de seus amigos serem controlados, é pensar que o Homem-Púrpura de alguma forma, REMOTAMENTE está dominando sua filhinha e vai usá-la para lhe fazer algum mal.

Realmente, mesmo com toda a enrolação, só essa possibilidade já é pra deixar todo mundo com o coração na mão…

Escritor, roteirista de quadrinhos, jornalista, cozinheiro, Jogador de Magic e RPG, dentre outras façanhas incríveis e inimagináveis!"Como estou redigindo?"