Fãs fazem petição para Mulher Maravilha ser bissexual nos Cinemas – Hyppers

Fãs fazem petição para Mulher Maravilha ser bissexual nos Cinemas

Ano passado o escritor da Mulher Maravilha, Greg Rucka, comentou que sua interpretação da heroína é bissexual e isso gerou um reboliço entre os fãs de Diana Prince, sejam leitores de HQs ou não. E a repercussão está chegando até os cinemas, ou pelo menos, é isso que um certo grupo deseja que aconteça, fazendo uma petição para a Warner Bros mostrar esse lado de Diana na sequência já programada da heroína para 2019.

Um abaixo-assinado criado por Gianna Collier-Pitts, pede para que o estúdio “reconheça abertamente Diana Prince por quem ela é e quem ela sempre foi (não importando quem seja seu atual par romântico), o que poderia fazer seu personagem representar milhões de pessoas”.

Até o presente momento, a petição já tem quase 3 mil apoiadores com uma meta inicial de 5 mil. Você pode ler (em inglês) e apoiar (se quiser) clicando aqui.

Gianna faz o seguinte comentário em sua petição:

“Diana Prince de ‘Mulher Maravilha’ é de Themyscira, terra das amazonas e habitada exclusivamente por mulheres. Só isso já serviria como motivo suficiente para confirmar sua sexualidade, já que qualquer relacionamento que ela poderia ter antes da história com Steve Trevor só poderia ser com outra mulher. Alguns de vocês podem pensar que este detalhe em específico não faz diferença, mas para pessoas como eu que, raramente se veem refletidas na mídia, acreditem, faz diferença sim. Fazer a Mulher Maravilha se tornar canonicamente bissexual nos cinemas seria fazer dela a primeira super heroína LGBTQ de qualquer forma tanto na DC como na Marvel em seus universos cinematográficos, e a solidificariam como um modelo para mulheres de todas as idades e identidades”.

A própria atriz Gal Gadot falou a respeito do assunto ano passado, quando o comentário de Rucka sobre o fato de fazer sentido as Amazonas se relacionarem entre si. Gal falou que “quando falamos teoricamente que as mulheres de Themyscira estão isoladas por tantos anos, faz muito sentido sim. No filme ela não tem nenhuma experiência bissexual. Não é sobre isso. Ela é uma mulher que ama as pessoas por quem elas são. Ela pode ser bissexual. Ela ama as pessoas por seus corações”.

Eu acho que é algo que a própria Patty Jenkins aceitaria tranquilamente trabalhar em um filme (diachos, ela fez “Monster”!), acho que é mais o caso mesmo da Warner Bros pensar sobre o assunto e dar o aval para isso ser mostrado. E nem é como se ela precisasse flertar ou ficar com uma mulher, só de saber que ela pode ter interesse se pintar alguém já seria um grande passo para essas pessoas…
Mas vocês sabem, tem muita gente que ainda torce o nariz para essa ideia…

Escritor, roteirista de quadrinhos, jornalista, cozinheiro, Jogador de Magic e RPG, dentre outras façanhas incríveis e inimagináveis!"Como estou redigindo?"