Stephen King comenta sobre passagem polêmica de “A Coisa” – Hyppers

Stephen King comenta sobre passagem polêmica de “A Coisa”

“It – A Coisa”, já está nos cinemas e, para felicidade dos fãs, parece que é uma adaptação excelente da obra do Stephen King. Claro que, quando algo começa a ficar em voga, muitas pessoas começam a falar à respeito e algumas levantam fatos que muita gente nem lembrava (ou sabia). É mais ou menos o que acontece no Twitter: se você vai ficar famoso, saiba que vão cavucar tudo o que você já escreveu lá!

Mas enfim, dessa vez o que estão comentando à respeito é uma passagem do livro original, que não foi adaptada nenhuma vez nos filmes ou série de TV. Essa passagem em si mostra uma “orgia juvenil”, onde as crianças praticam o ato sexual em grupo (pra você que não sabe o que a palavra significa…). E isso está causando uma certa “comoção online”, a qual King apenas diz que está “fascinado” sobre como os leitores e críticos focam sua atenção para algo errado.

O site da Vulture recentemente publicou uma declaração do escritor sobre essa cena, feita em 2013, na qual ele comenta que “Eu não estava realmente pensando no aspecto sexual da coisa. O livro lida com a infância e a idade adulta, 1958 e os crescidos. Os adultos não lembram de sua infância. Ninguém se lembra do que fazemos quando crianças, nós pensamos que sim, mas não lembramos como de fato foi. Intuitivamente, os Perdedores sabem que eles tem que se reunir novamente. O ato sexual conectava infância e a fase adulta. Os tempos mudaram desde que eu escrevi esta cena e hoje em dia tem muito mais sensitividade à respeito desses assuntos”.

A Vulture então voltou a procurar King à respeito desse comentário de quatro anos atrás e ele respondeu o seguinte: “Isso soa como o meu comentário. O qual eu adicionaria que me fascina que tenham tantos comentários sobre uma única cena de sexo e muito poucos sobre múltiplas crianças sendo mortas. Isso deve significar alguma coisa, mas eu não sei o que”.

Para quem não sabe, o livro foi lançado há mais de 30 anos, em 1986 para ser mais exato. Claro que na época a sexualidade era algo bem diferente como aparece hoje em dia (basta dar uma olhada em muitos filmes “teens” dos anos 80), mas o comentário de King tem sua pertinência. Ao mesmo tempo dá para entender o motivo de ser algo nunca adaptado, ressaltando que não houve reclamação por parte de ninguém sobre ser ou não, apenas aquele barulhinho que a internet faz quando uma polêmica cai no óleo quente…

Agora, eu imagino se isso também não vá servir de estímulo para novos leitores lerem o livro, além do próprio filme e o sucesso que ele vem fazendo…

Escritor, roteirista de quadrinhos, jornalista, cozinheiro, Jogador de Magic e RPG, dentre outras façanhas incríveis e inimagináveis!

“Como estou redigindo?”