Reunindo a banda mais uma vez em “Império Secreto #8” – Hyppers

Reunindo a banda mais uma vez em “Império Secreto #8”

Hyppers Alerta: O Texto abaixo contém spoilers de histórias ainda não lançadas no Brasil! Siga por sua própria curiosidade e risco.

Mais uma edição de “Império Secreto”, mais um reviewzinho básico para vocês que querem saber o que está rolando na principal saga da Marvel. Essa edição, a oitava de dez, tem um pouco aquela vibe de “Getting the Band Back Together”, ou seja, de todos os membros que estavam separados e distantes desde o começo da história.

Mas antes, uma recapitulação:

Nas últimas edições, o Capitão América da Hydra foi conseguindo vitória atrás de vitória. Ele arrasou com a maioria dos rebeldes, conseguiu os pedaços de cubo cósmico e conseguiu sobreviver assassinatos. Parece que tudo está indo bem para ele, apesar de custar-lhe todos que lhe eram próximos. Os sobreviventes estavam um caco puro. Quase sem energia, equipamento e esperança, até que Sam Wilson, tem o momento mais “Capitão América” de sua carreira como… Capitão América… E a saga se encaminha para seus momentos derradeiros!

Esta nova edição começa mostrando o Steve Rogers original em um limbo que não sabemos onde, de fato. Ele estava perdido e acabou sendo capturado por uma versão do Caveira Vermelha. Entretanto, ele conseguiu escapar e caiu em um rio bravo, que ele também conseguiu sobreviver.

Em outro momento, vemos Raz, o atual Gigante, e Rayshaun Lucas, o atual Patriota, enterrando um dispositivo comunicador no deserto para ele ficar esperando de um ponto do futuro para mandar uma mensagem para o passado, além do controle da Hydra.

E é aí que vemos Sam, o “Capifalcão”, falando com todo mundo do Universo Marvel sobre seus planos: eles conseguiram um pedacinho de Cubo Cósmico, o último que Steve não tem, ao resgatar Inumanos de um campo de concentração. A ideia é usar esse poder suave que o Cubinho tem para conseguir mudar a realidade e reunir todos os heróis que estavam separados. As pessoas presas em Nova York pela dimensão das trevas, bem como permitir que os heróis de fora do planeta, presos contra o Campo de Força planetário, entrar. o Falcão mesmo iria voar e usar esse poder para afetar a realidade.


Ao mesmo tempo, as coisas vão andando para esses dois grupos de heróis. Carol Danvers, a Capitã Marvel, recebeu Peter Quill, Rocket e Groot, que haviam zarpado pelo universo para procurar ajuda pra Terra. Eles não foram muito bem sucedidos, visto que a maioria está mais que feliz de ver o planeta se ferrar, então eles arranjaram algo que poderia ajudar: uma Bomba Nulificadora. Basicamente a mesma coisa que o Galactus se borra de medo, mas na forma de uma bomba. A ideia é eles jogarem isso contra o campo de força e fazer ele se desgastar a ponto de se romper!

Já em NY, os Defensores e outros heróis urbanos, bem como o Doutor Estranho, descobrem um método de sair daquela zona das trevas. Stephen comenta que conseguiu um feitiço para ajudá-lo a romper essa esfera de energia sombria, só que lhe custou caro… Na verdade, lhe custou o Sanctum Sanctorum! Sim, mas não pelas propriedades místicas. Veja, os Bibliotecários, seres mágicos com alto conhecimento, que forneceram o feitiço para ele, queria o Sanctum mais para poder lucrar o alugando, como uma imobiliária, do que atrás de seus poderes místicos! Sim, isso é bem bizarro e até levemente engraçado.

Voltamos então para o Falcão América, que está sendo perseguido por jatos da Hydra. Ele estava tentando usar o poder do Cubo para permitir ao restante dos heróis se juntarem a eles. Ele até que se sai bem contra alguns deles, mas no final das contas, parece que a “sorte de vencedor” do Stevydra atacou mais uma vez…

Por sua vez, o Doutor Estranho começa a fazer seu feitiço com a ajuda de Manto e Adaga. Ele quer usar os poderes que eles tem de luz e trevas para poder romper o escudo das trevas que envolve Nova York. Algo como se ele usasse as energias da dupla para fortalecer a magia.

Só que também não funciona.

Ele até mesmo chega a brincar que “bom, pelo menos eu não vou ficar desabrigado”. Enquanto vê que o escudo das Trevas ainda se mantém.

Por fim, a tal da Bomba Nulificadora que jogaram lá no escudo… Bom, também “faia”.

Quando tudo parece que vai, mais uma vez, bem para a Hydra, acontece o que a própria HQ chama de “Milagre”. Usando o Cubo Cósmico, o Falcão consegue se curar e se salvar a beira da morte! Ao mesmo tempo, na estação espacial, a atual Quasar, Avril, acorda do seu coma e já está plenamente recuperada. Usando seus grandes poderes dos braceletes cósmicos, ela consegue quebrar o campo de força!

Isso permite que a Capitã Marvel entre e destrua o local onde estão os ovos dos Chitauri, que é o que vem constantemente atraindo novas forças aliens para a Terra que os mantiveram ocupados por tanto tempo!

Ao mesmo tempo, vemos que o restante dos rebeldes e Maria Hill se infiltram em uma prisão da Hydra. Lá eles descobrem um personagem chamado Blackout, um vilão que teve a identidade trocada por Kobik, o cubo cósmico, e virou uma outra pessoa. Tecnicamente ele não é mais um vilão, mas seus poderes estavam sendo usados para manter a redoma de energia das trevas que prendia NY. Maria Hill o encontra e manda um tirambaço no seu coco!

Com isso, todos os heróis remanescentes conseguem se juntar finalmente. Temos os rebeldes do Capifalcão América, os Defensores e outros heróis urbanos de NY, os cósmicos como A Tropa Alfa, Ultimates e Guardiões da Galáxia, e até mesmo Namor retorna com Bucky, que havia sido dado como morto!

A Banda está toda reunida. Os Vingadores tão todos Assemblados!

E a edição termina com todas as peças preparadinhas para as próximas duas edições que irão finalizar a SAga. É aquele momento antes da Guerra começar de fato que as duas forças já estão preparadas. De relance também vemos que o Barão Zemo capturou o Pantera Negra, que tinha um dos fragmentos em Wakanda.

Essa edição toda foi bem clichê de colocar tudo indo para o saco e depois, milagrosamente, dando tudo certo. Mas pelo menos combina um pouco com o que está acontecendo. Não seria difícil dar tudo errado e outra coisa acontecer mesmo os heróis não conseguindo se juntar (e o que quer que fosse, provavelmente seria mais interessante). É aquela coisa também, não dá para saber se foi o cubo que fez algo indiretamente, ou se só foi uma sorte danada deles (tirando o Falcão se curar, aquilo foi o cubo mesmo).

Mas antes de acabar, voltamos para ver o Steve no outro lugar. Ele tem uma visão constante de uma mulher de branco, que ele finalmente reconhece como Sharon Carter, quando ela some, ele se depara com Kobik, dizendo que os dois estão perdidos. Para surpresa de Steve, ele reconhece ela na hora e a HQ acaba!

Para mim é bem simples: acho que ele está no próprio Cubo Cósmico. Ele está preso lá, como um mundo de possibilidades. Kobik apenas pegou uma das possibilidades e trocou com o #RealSteve. Pois aqui fica a pergunta: o que acontece com a realidade que o Cubo altera? Não é como se ele fosse simplesmente apagar e pronto É possível que, de uma certa forma, a versão que conhecemos do Capitão esteja presa dentro do Cubo Cósmico, pois ele não simplesmente dá um “delete” no que existiu antes.

Seria interessante ver todos esses heróis que se juntaram agora serem derrotados pelo Hydratão América, que pega esse fragmento final e junta o Cubo Cósmico e, quando ele está em seu momento de glória supremo, pronto para usar o Cubo para tudo o que deseja, de dentro dele sai o Steve real e o derrota. Acho que seria a única forma (pelo menos que eu concebo), de apagar essa sujeira toda que a sua versão da Hydra fez com sua reputação.

E acho que esse será o Caminho que Spencer/Marvel deve seguir.

Mas enfim, é isso aí pessoal, nos vemos na próxima edição de Império Secreto e ver como vai ser a batalha entre os dois lados! Até mais!

Escritor, roteirista de quadrinhos, jornalista, cozinheiro, Jogador de Magic e RPG, dentre outras façanhas incríveis e inimagináveis!"Como estou redigindo?"